24/03/2011
18:07
Japão reconstrói rodovia em apenas seis dias após terremoto

Foi recuperado um trecho de 150 m que liga cidade na Província de Ibaraki a Tóquio em apenas 6 dias apos o terremoto de 9º grau na escala Richter.

Uma rodovia em Naka, na Província de Ibaraki, foi reconstruída em apenas seis dias após o forte terremoto de 9 graus na escala Richter, que atingiu a costa nordeste do Japão em 11 de março.

Com a reconstrução da rodovia, pronta desde o dia 17 de março, foi recuperado um trecho de 150 m que faz ligação com a capital, Tóquio.

O terremoto do dia 11 ocorreu por volta das 16h (4h no horário de Brasília), causando pânico e danos em diversas cidades do país. O tremor fez com que as autoridades locais emitissem um alerta contra tsunamis (ondas gigantes) de, pelo menos, 10 m de altura.

Edifícios na capital Tóquio balançaram e muitos carros caíram de pontes. Também foram registrados incêndios em algumas cidades e todos os trens no norte do país pararam de funcionar.

O terremoto, seguido de tsunami, destruiu cidades inteiras na costa leste do país. A polícia na Província japonesa de Miyagi, a mais atingida, estimou, no último domingo (20), que até 15 mil pessoas possam ter morrido só na sua jurisdição.

Os números não incluem as fatalidades que também estão sendo contabilizadas nas áreas atingidas ao norte e ao sul, razão pela qual já se fala em 20 mil mortos na maior tragédia a atingir o Japão desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Continuem

aponeses ainda tentam controlar crise nuclear

Na usina nuclear de Fukushima, danificada pela tragédia, os técnicos continuaram a lançar jatos de água nos reatores que contêm os bastões de combustível nuclear para evitar um perigoso derretimento.

O resfriamento do reator 3 foi retomado com o lançamento de água para resfriar sua piscina de combustível. Em seis horas, as equipes militares e de bombeiros injetaram entre 4 e 5 toneladas de água na piscina, segundo a Agência de Segurança Nuclear. As operações estavam paralisadas por conta de uma fumaça preta que saía do reator desde quarta-feira.

Dois operários em Fukushima foram hospitalizados nesta quinta-feira depois de terem sido expostos à radiação excessiva enquanto trabalhavam para levar cabos elétricos ao reator número 3, informou a emissora de televisão NHK.

Ainda hoje, a radioatividade na água de Tóquio registrou queda, voltando a níveis seguros para consumo, inclusive por bebês. Nesta quarta-feira (23), o governo da capital japonesa advertiu os pais para que não dessem água da torneira para as crianças com menos de um ano devido ao alto índice de iodo radioativo.
Em outras cidades da Província de Fukushima, foram encontrados níveis altos de iodo radioativo também no leite e em alguns vegetais, aumentando a preocupação do governo com a contaminação, segundo a Kyodo News.

De acordo com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-estar do Japão proibiu a venda dos produtos e está realizando mais testes.

Postado por: Victor Perez
Categorias: , ,


2 comentários:

Willian C.P. disse... 25 de março de 2011 13:55

PTZ daqui 1 mês ninguem vai percebe que existiu um tsunami la kkkk

Deniffer disse... 26 de março de 2011 18:17

Willian aposto que em 20 dias ja não pareçe rs

Postar um comentário